segunda-feira, 8 de junho de 2015

A Batalha do Apocalipse


Dados do livro, lembrando que o livro que tenho em mãos é a edição especial de colecionador, com extras.





Livro: A Batalha do Apocalipse
Autor: Eduardo Spohr
Páginas: 647
Extras: 587 a 647
Editora: Verus








          Hoje eu vim falar para vocês sobre A Batalha do Apocalipse de Eduardo Spohr, não há na literatura brasileira nada que se parece com esse livro, ele é simplesmente incrível, digno de virar filme ou até uma série de televisão, mas vamos direto a resenha.
          Bom, no início do universo só existia Deus e Tehom (uma deusa das trevas), Ele queria destruí-la para criar o nosso Universo, e foi aí que criou os 5 arcanjos para junto d'Ele lutar contra Tehon. O primeiro arcanjo foi Miguel, o primogênito, Lúcifer, Gabriel, Uziel e Rafael. 
          Após a destruição da deusa, Deus criou os anjos, a terra, os animais, e finalmente os humanos e chegou então o sétimo dia na qual Deus foi descansar e deixou que os arcanjos cuidassem do Universo até o fim do sétimo dia na qual ele iria acordar, porém, nesse livro os dias terrenos e celestes passam em tempos diferentes, 1 dia no Céu equivale a milhões de anos aqui na Terra.
          Os Arcanjos não queria proteger os humanos, pois eles tinham inveja deles, por eles terem alma e livre arbitro, então eles dedicam o sétimo dia para destruir a raça humana, com catástrofes, dilúvios, guerras, etc, etc. Alguns anjos porém não concordavam com isso, pois a raça humana como qualquer criação de Deus deveria ser preservada e protegida. Como os Arcanjos são muito mais fortes que os Anjos e os Anjos que se rebelaram era minoria, eles foram expulsos do Céu e jogados na Terra e perseguidos na Terra para serem mortos, dos 18 Anjos renegados Ablon foi o único sobrevivente e é aí que a história começa. 
          A história se passa em um futuro próximo, o sétimo dia está acabando e com ele vem chegando o Apocalipse que será quando Deus irá acordar e julgar a todos, Ablon foi convidado para a Batalha do Apocalipse e na esperança de salvar a humanidade ele se mete nessa guerra.
          A história é envolvente, transita entre presente e flash back, na qual aos poucos a história vai sendo explicada até a chegada da Batalha, que tem um final surpreendente e super bem feito.
          Eduardo Spohr tem uma narrativa impressionante, ele descreve os fatos, o cenário os personagens tão bem que no final você tem dúvidas se leu um livro ou se viu um filme, pois as imagens se formam em sua mente tão nítidas que é surpreendente.  
          Bom, é isso galera!
Eu sou a Jhully e essa foi minha resenha da semana
Beijos até quarta!